Cinco Diretrizes para a Nova Educação

1.

Cooperar é mais importante do que competir

Antes de expormos e instigarmos a competição entre as pessoas, devemos prepará-las para um futuro próximo, em que a cooperação, a responsabilidade social e a gestão ambiental serão os fundamentos para a ética e a legislação. Nesse ambiente necessário para a nossa existência, a escola é mais do que o seu espaço ou o seu nome, é o fruto de múltiplos centros de educação reunidos para atender o indivíduo e para permitir que ele se reúna a outros, conduzindo a escola e as empresas, assim, equipes interligadas capazes de produzir conhecimentos e bens que atendam as aspirações da sociedade: A globalização é irreversível.

2.

Educação sempre parte de valores

O ser humano distingui-se de qualquer produto tecnológico decorrente de sua criação não apenas por atender valores, mas por criá-los, refletir sobre eles e difundi-los. Educar o ser humano é mais do que treiná-lo a repetir tarefas, ainda que sejam tarefas abstratas, educá-lo é, antes, prepará-lo a compreender o seu papel social e a assumir valores.

3.

Compreender a construção da tecnologia é tão importante quanto saber manipulá-la

As pessoas têm em suas mãos e ao alcance dos olhos equipamentos cada vez mais sofisticados. Não haverá meios nem sentido prático restringir o seu emprego durante a formação de crianças e jovens. É necessário que o ambiente escolar esteja apto para abordar de forma intensa estes equipamentos, para que se tornem instrumentos de documentação, pesquisa, convergência tecnológica e integração de pessoas em redes colaborativas.

4.

O ser humano é sempre maior do que o trabalho que realiza

Preparar o homem para o trabalho é tarefa da escola que já conhecemos. Preparar o homem para fazer de si mesmo um bem pessoal e social é tarefa da educação. A educação sustentada na generosidade faz a riqueza de espírito prosperar e difundir: o saber é um bem incomensurável e de irresistível capacidade para ser compartilhado pelas pessoas.

5.

O trabalho realizado é sempre melhor quando fruto de competências oriundas da educação

Pretender fazer o melhor exige estudo e prática. A humildade de procurar compreender a orientação do outro é o primeiro passo no caminho de se realizar uma tarefa.